28 MAIO | 17H00

Um debate online com

Bravo Nico (Univ. de Évora)
Eduarda Neves (ESAP, Porto)
Madalena Wallenstein (Fábrica das Artes / CCB)
Paulo Pires do Vale (Comissário do Plano Nacional das Artes)
 
A moderação é de José Alberto Ferreira, Diretor Artístico do Centro de Arte e Cultura da Fundação Eugénio de Almeida.
 
 
 
_____________
 
José Carlos Bravo Nico
“Sou professor, desde 1988. Iniciei a minha actividade docente na Escola Secundária de André de Gouveia, em Évora, como Professor Estagiário de Ciências Físico-Químicas.
Entre Setembro de 1989 e Janeiro de 1991, leccionei na então Escola C+S de Arraiolos. Nesta última data, ingressei na Universidade de Évora, onde me encontro actualmente, como docente do Departamento de Pedagogia e Educação.
Ensinar é uma missão com uma nobre finalidade: contribuir para a Felicidade dos(as) que aprendem, numa contínua construção do equilíbrio entre a dimensão do Rigor, do Trabalho e da Responsabilidade e a dimensão do Prazer e da Convivialidade.”
 
Eduarda Neves
Professora de teoria e crítica de arte contemporânea, área na qual tem vários artigos e livros publicados. Curadora independente. A sua atividade de investigação e de curadoria, cruza os domínios da arte, filosofia e política. Colabora, desde Fevereiro de 2019 com a revista ‘Contemporânea’. Últimos livros publicados: ‘O Auto-Retrato: Fotografia e Subjectivação’, Ed. Palimpsesto | CEAA, 2016 [Short list do prémio PEN CLUB na área de Ensaio, 2017] e, em 2020, ‘Nem-Isto, Nem-Aquilo’, pela mesma editora. Licenciada em Filosofia e Doutorada em Estética. Professora Auxiliar, ESAP. Investigadora Responsável do grupo de investigação ARTE E ESTUDOS CRÍTICOS do CEAA, desde 2013. Integra, para o biénio 2019-2020, a Comissão de Aquisição de Arte Contemporânea para a coleção do Estado Português. É diretora da Escola Superior Artística do Porto - ESAP.
ESAP Porto - Página Oficial
 
Madalena Wallenstein
Nascida em Lisboa, iniciou a sua formação ainda em criança no período efervescente do Movimento da Educação pela Arte, na Fundação Gulbenkian nos anos 70, nas áreas da música e do teatro.
Estudou flauta transversal no Conservatório Nacional de Lisboa e tocou em diversos grupos de música de câmara, música contemporânea e música para espetáculos de dança e teatro.
Professora de música desde 1987. Como pedagoga, dedicou-se ao cruzamento das várias expressões artísticas e outras áreas do conhecimento; e à pesquisa de metodologias de exploração da música como linguagem expressiva e criativa. Foi criadora e encenadora de espetáculos de música e teatro musical. Leciona cursos de formação para professores e artistas em todo o país.
É orientadora de workshops e ateliers criativos para crianças, jovens e adultos em várias instituições: Centro Cultural de Belém, Centro Cultural de Cascais, Fundação Calouste Gulbenkian, Casa da Música, entre outros. É Presidente do Artemanhas – Oficinas de Expressão Artística, projeto criado pela própria em 2001. É programadora e coordenadora do CCB/ Fábrica das Artes.
 
Paulo Pires do Vale
É professor, ensaísta e curador.Foi presidente da Associação Internacional de Críticos de Arte - Portugal. É Comissário do Plano Nacional das Artes desde 2019.
É licenciado e Mestre em Filosofia pela FCSH - Universidade Nova de Lisboa. Dá aulas na Universidade Católica Portuguesa e na Escola Superior de Educadores de Infância Maria Ulrich.
É autor de ‘Tudo é outra coisa. O desejo na Fenomenologia do Espírito de Hegel’, Colibri, 2006; e de muitos ensaios para revistas, livros e catálogos de exposições coletivas e individuais.
Entre as exposições que comissariou, destacam-se, entre outras: ‘Ana Vieira - Muros de Abrigo,’ CAM-F.C.Gulbenkian, 2011; ‘João Jacinto - Tendas no deserto’, Fundação Carmona e Costa, 2011; Rui Chafes - Inferno, Galeria Esteves de Oliveira, 2011; T’arefas Infinitas’, Museu Calouste Gulbenkian, 2012; ‘Tratado dos Olhos’, Atelier-Museu Júlio Pomar, 2014; ‘Pliure (Prologue)’, Fondation C. Gulbenkian, Paris, 2015; ‘Pliure (Épilogue)’, Palais des Beaux-Arts, Paris, 2015; ‘Graça Pereira Coutinho - A outra mão’, Fundação Carmona e Costa, 2015; ‘Lourdes Castro - Todos os Livros’, Museu Calouste Gulbenkian, 2015; ‘Não te faltará a distância’, Igreja de São Cristovão-CML, 2016.
 
 

Partilhar conteúdo: