Contar do Azeite, do Vinho e do Pão

Sessões de contos


Pão de hoje, azeite de cima e vinho do outro Verão fazem o homem são


"O Azeite, o Vinho e o Pão formam uma trilogia associada à cultura gastronómica mediterrânea. Um património que permanece vivo, à mesa. A mesa, um lugar de encontro e de partilha. Redonda, de preferência, para a roda dos afetos. É onde se divide o pão. É onde muitas vezes, dentro, se acende uma luz para os dias mais escuros. E onde se brinda à vida. Com o outro. São sempre alimentos comungados no plural dos verbos.

Além de uma dimensão sacra, estes três elementos têm uma forte expressão em diversos tipos de texto da Tradição Oral Portuguesa, bem como na Literatura.

Contar do Vinho, do Azeite e do Pão pretende, através da Palavra, enaltecer estes três alimentos, do corpo e da alma - tão vitais à Gente do Sul. Trazer contos populares, leituras de grandes autores, expressões da tradição oral como provérbios, adágios, crenças ligadas a tradições e à sonoridade musical do Cante Alentejano e da Viola Campaniça."

 

Atividade apoiada pela Medida de Apoio à Comunidade Artística do Fundo Financeiro Extraordinário da Fundação Eugénio de Almeida.

 

PROGRAMA

26 setembro | 17h00
CONTAR DO AZEITE - «A verdade e o azeite vêm sempre ao de cima»
Com Bru Junça e Joaninha Duarte

Enoturismo Cartuxa

 

31 outubro | 17h00 
CONTAR DO VINHO - «Quando o vinho desce, as palavras sobem»
Com Bru Junça e Ana Lage
Enoturismo Cartuxa

 

21 novembro | 17h00 ADIADA
CONTAR DO PÃO - «Bom grão fará bom pão»
Com Bru Junça e Domingos Galésio
Enoturismo Cartuxa

Em sequência da atual situação decorrente da pandemia de Covid19, informamos que esta atividade será adiada.

 

 

______________

 

BRU JUNÇA
Licenciada pela Universidade de Évora em Educação de Infância e Pós-Graduada em Livro Infantil pela Universidade Católica de Lisboa.
Mediadora do Livro de Leitura, desenvolve projetos em vários espaços. Cria a marca Conto Por Ponto, livros de pano artesanais que resgatam textos da tradição oral portuguesa. Participa em diversos festivais nacionais e internacionais que visam a promoção do livro, da leitura e do conto. Fá-lo em contextos distintos como: Unidades de Apoio Especializado a crianças com NE; estabelecimento prisional; lares de idosos e centros de dia; casas de acolhimento temporário, escolas; bibliotecas, museus, entre outros. Em países de África abraçou projetos para a construção de bibliotecas e implementação de projetos de leitura com as comunidades. Recentemente esteve responsável pela Hora da Leitura do 1º e 2º ano do Estudo em Casa.


JOANINHA DUARTE
Contadora de estórias. Doutoranda em Ciências da Educação e Formação de Adultos – Investigação na formação experiencial do contador de estórias – pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Mentora e coordenadora da primeira Pós-Graduação Arte de Contar Estórias, no ISEC. Professora de Literatura Tradicional e Literatura para a Infância, na ESEIMU - Maria Ulrich. Professora Literatura Tradicional ESE Setúbal. Coordenadora do Projeto Educativo do Fluviário de Mora. Coordenadora Pedagógica da Ludoteca e da Animação do Livro e da Leitura da Casa da Cultura de Mora. Investigadora no IELT – Instituto de Estudos de Literatura e Tradição. Projeto “Tal Mãe e Tal Filha”. Associada fundadora e da direção da ASSESTA – Associação de Escritores do Alentejo. Associada fundadora e da direção da AMAI – Associação Internacional
Almada Mundo e mentora e coordenadora do Projeto eFabularia. Conta com inúmeras Obras publicadas.


ANA LAGE
O Minho nas veias. Iniciou o seu percurso profissional como artista plástica. A partir de 2006 inicia formação contínua como Narradora Oral. Tem vindo a especializar-se no âmbito da mediação leitora, com uma pós-graduação em Livro Infantil na Universidade Católica. Desenvolveu um projeto de oralidade “Enredos, Enredilhos e Outros Sarilhos...”, cruzando diversas gerações. Desde que se iniciou nas lides da Narração que ilustra o interior de quem a escuta com palavras esculpidas pelo tempo. É no texto tradicional que encontra a sua casa, matizando-a de quando em vez com o texto de autor. Nessa casa que é o seu repertório, acolhe todos os públicos e percorre o país e o mundo.


DOMINGOS GALÉSIO
Músico de viola clássica. Participa em vários projetos musicais de diferentes géneros de música. Atualmente é um dos músicos do projeto Rouxinol Faduncho. Construtor e restaurador de instrumenstos musicais.

 

 

 

 

 

 

 

Partilhar conteúdo: