Duas ou três coisas...

 

19 de janeiro | 18h00
Centro de Arte e Cultura
Entrada livre, limitada aos lugares disponíveis

É obrigatória a apresentação de certificado digital (de acordo com normas da DGS em vigor).

 


Livrarias independentes
Com Helena Girão Santos, 20 anos de Fonte de Letras

A Fonte de Letras é uma livraria independente que nasceu em 2000, em Montemor-o-Novo, e mudou para Évora em 2013 à procura de mais público. Faz parte da Associação RELI – Rede de Livrarias Independentes. É uma livraria onde é frequente ouvir dizer “Esta livraria tem livros que não se encontram em mais lado nenhum”. 
Neste encontro iremos abrir algumas páginas: O que é uma livraria independente e qual é o seu papel? Será diferente uma livraria independente em Évora ou numa grande cidade? Será uma decisão política, para além das outras mais óbvias, ajudar a manter uma livraria independente numa cidade?...

Harmonia: uma sociedade eborense no século XXI
Com Isaac Fandinga, Presidente da Direção da SHE

Ao longo da última centúria, adaptou-se, reestruturou-se e definiu-se sempre como um reflexo da cidade de Évora. Através das inúmeras camadas pela qual se definiu ao longo dos tempos, foi constante o seu papel na mudança das vivências e das sociabilidades eborenses, chegando ao século XXI com novas responsabilidades. Atingido o estatuto de Instituição de Utilidade Pública em 2015 e reconhecida, em 2018, como a primeira Entidade de Interesse Histórico e Cultural ou Social Local da cidade de Évora, assistiu, neste novo milénio, à reformulação etária e geracional na composição da massa associativa, sendo esta a razão para um reencontrado vitalismo e uma renovada capacidade de perspetivar a existência de uma coletividade, assente no voluntariado e na gratuitidade, num tempo em que as teorias dominantes apontam para a inviabilidade destas organizações.
Atualmente, a Sociedade Harmonia Eborense assegura uma programação constante nas áreas da Música, Cinema, Teatro e Exposições de Artes Plásticas, granjeando um papel decisivo na dinamização da cultura local, não descurando uma linha de atuação que se enquadra com uma estratégia a nível nacional. São mais de 140 eventos por ano, num desafio constante dos seus associados e voluntários, assente na leitura do presente, honrando o papel da história, de forma a assegurar o futuro.

Partilhar conteúdo: