Duas ou três coisas...

 

29 de janeiro | 16h00
Centro de Arte e Cultura
Entrada livre, limitada aos lugares disponíveis

É obrigatória a apresentação de certificado digital (de acordo com normas da DGS em vigor).
 
 
O estado da arte
A revista Electra apresenta, no seu último número de 2021, um dossier com questionamentos e inquietações hoje fundamentais sobre arte contemporânea. É em torno desse dossier que se organiza esta sessão, reunindo António Guerreiro (Editor da revista), José Manuel dos Santos (Diretor da revista e Diretor Cultural da Fundação EDP), José Miguel Gervásio (Artista, Mestre em Práticas Artísticas pela Universidade de Évora) e José Alberto Ferreira (Diretor Artístico do Centro de Arte e Cultura).
 
 

António Guerreiro é ensaísta, cronista e crítico literário do jornal Público, editor da revista Electra (Fundação EDP) e docente convidado da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Além de colaboração dispersa em revistas, catálogos e livros coletivos, é autor de dois livros: O Acento Agudo do Presente (Cotovia, 2000) e O Demónio das Imagens, sobre Aby Warburg (Língua Morta, 2018).

José Manuel dos Santos é Diretor da revista Electra e Diretor Cultural da Fundação EDP. Durante vinte anos, de 1986 a 2006, foi assessor cultural do Presidente da República. É autor do livro de poemas O Livro dos Registos e foi colunista do jornal Expresso, no caderno de cultura Actual. É membro do PEN Clube português e académico correspondente da Academia Nacional de Belas Artes.

José Miguel Gervásio nasceu no Montijo, em 1968. Vive e trabalha em Montemor-o-Novo. É Licenciado em Artes Plásticas (Pintura) pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e Mestre em Práticas Artísticas pela Universidade de Évora. Enquanto artista plástico, realizou e participou em inúmeras exposições individuais e coletivas. Foi distinguido com o 1º Prémio de Escultura City-Desk (Fundação Eugénio de Almeida D. Luís I, Cascais, 2001) e uma Menção Honrosa do Prémio Vespeira – 1ª Bienal Internacional de Artes Plásticas (Montijo, 2008).

José Alberto Ferreira é doutorando na Sorbonne (Paris 1) com pesquisa sobre a problemática da Documentação e Arquivo nas artes performativas. É docente no Departamento de Artes Cénicas da Escola de Artes da Universidade de Évora e colaborador do Centro de História de Arte e Investigação Artística (CHAIA) da mesma universidade, integrando vários grupos de investigação na área do Teatro e da Marionete. Fundou e dirigiu o Festival Escrita na Paisagem (2004–2012), no âmbito do qual programou inúmeros projetos e criações de artistas nacionais e internacionais. Foi curador dos Ciclos de São Vicente, em Évora. É diretor artístico do Centro de Arte e Cultura da Fundação Eugénio de Almeida.
 
 
 

Partilhar conteúdo: