Entrepreneurs supported by Fundação Eugénio de Almeida #11

"O reconhecimento e validação por parte da Fundação também foi importante para tomarmos consciência e responsabilidade do papel que a INHERVOICE tem de ocupar na sociedade."

 Tânia Carvalho

De que consta o seu projeto, qual o impacto esperado e que resultados já podem apresentar?

A INHERVOICE – CULTURE OF COACHING  nasceu fruto da minha experiência de duas décadas a actuar profissionalmente em ambientes altamente competitivos num percurso versátil que inclui a direcção comercial, formação e desenvolvimento, gestão da comunicação e gestão de projectos em constante articulação com equipas nacionais e internacionais.

Tendo convivido nos últimos anos com a real evolução e o concreto sucesso de muitos dos que comigo se cruzaram, maioritariamente mulheres e algumas com uma situação sócio-económica enfraquecida, obtive a prova da utilidade de metodologias como o Coaching na melhoria da performance das pessoas, que aumentavam os seus resultados e adoptavam uma atitude empreendedora por via da aquisição ou desenvolvimento de competências comerciais e empresariais.

Há cerca de um ano reflecti sobre o contexto complicado, pandémico e sócio-económico que atravessávamos e pensei: se este método funciona porque não torná-lo acessível a toda a gente?

Foi aí que surgiu a ideia de disponibilizar as metodologias, a estratégia, os processos, o rigor, a qualidade, a imagem, tudo aquilo que normalmente só os privados usufruem a outras pessoas e não apenas às mesmas e começar a explorar todo esse potencial de sucesso que ainda está por descobrir. Sobretudo entre as mulheres – é por isso que o nosso nome integra 'innervoice' (voz interior) e 'in-her-voice' (pela voz dela, da mulher) – tendo presente as estatísticas que indicam que as mulheres ainda estão sub-representadas em cargos de poder em Portugal ( 85% dos membros de órgãos de administração e fiscalização são homens - fonte: Mercer https://www.mercer.pt/newsroom/estudo-mercer-remuneracao-executivos-de-topo.html)

Os primeiros meses foram de definição, desenvolvimento e evolução. Em Setembro de 2020 fundámos uma associação sem fins lucrativos.  Somos uma equipa multidisciplinar em constante crescimento, que trabalha com o propósito claro de potenciar pessoas aumentando a sua empregabilidade ou dotando-as das competências certas para criarem a sua própria empregabilidade.

Em Dezembro de 2020 estabelecemos uma parceria com a ORYPSY – Clínica de Saúde e Bem Estar, aumentando o nosso raio de actuação através da sinergia com a área da saúde e desenvolvemos um processo integrado de transformação que trabalha desde a componente psicológica e comportamental até ao desenvolvimento das competências comerciais e empresariais.

Estamos a desenvolver iniciativas com vários parceiros, quer na área do Empreendedorismo, destinado ao desenvolvimento de competências pessoais, comerciais e empresariais de um grupo de empreendedores durante as várias etapas do projecto, quer na área social, a lançar as bases para um projecto destinado a vítimas de violência doméstica.

Em Janeiro de 2021 iniciámos um período de incubação virtual com a Fundação Eugénio de Almeida.

Em Fevereiro de 2021, demos início a um plano de formação dedicado à mudança de paradigma no contexto do trabalho remoto, abrindo a discussão para temas como o presentismo e o burnout e apresentando estratégias para lidar com estes fenómenos.

O impacto que esperamos das actividades da INHERVOICE é a reintegração de pessoas na economia através do desenvolvimento da vontade e das competências para estabelecerem comércio com base local mas com foco na economia global, promover a fixação de jovens nas suas regiões levando-os a tirar partido das oportunidades trazidas pelo empreendedorismo digital, e ajudar todos aqueles e aquelas que se encontram numa situação de vulnerabilidade a encontrar dentro de si a força e a coragem para serem líderes do seu destino e mudarem a sua situação de vida para melhor.

Um dos nossos casos de sucesso mais recente é uma coachee de Oeiras que simultaneamente aumentou a sua empregabilidade – foi contratada como Country Manager para uma nova marca, e criou a sua própria empregabilidade – uma empresa de consultoria com clientes já activos.

 

Em que medida foi importante a formação/apoio/concurso/outro com o CENTRO DE INOVAÇÃO SOCIAL da Fundação Eugénio de Almeida?

Aprendemos muito ao longo da I Edição do CIS Empreende promovido pela Fundação Eugénio de Almeida e tirámos o máximo partido de todas as ferramentas, feedback e apoio por parte da equipa. Este empenho compensou, uma vez que ganhámos o primeiro lugar na categoria de Desenvolvimento. Mas esse reconhecimento e validação por parte da Fundação também foi importante para tomarmos consciência e responsabilidade do papel que a INHERVOICE tem de ocupar na sociedade, trabalhando todos os dias arduamente para que as mudanças – de cultura, de mentalidade - ocorram, e para que a capacidade de adaptação seja uma competência fundamental na vida das pessoas. Usando uma analogia do mundo da Engenharia: o que não dobra, parte.

Uma das iniciativas que destacamos pela pertinência e utilidade é a formação em avaliação e medição de impacto promovida pela Fundação. Tem ajudado a INHERVOICE a desenvolver a estrutura e as métricas necessárias para avaliar e melhorar continuamente o projecto.

 

Quais os próximos passos previstos para continuar a mudar positivamente o mundo?

No nosso plano para 2021 pretendemos expandir a nossa actuação para regiões do país economicamente afectadas como o Algarve e zonas do interior com elevado grau de desertificação. O nosso foco estará na transformação e empreendedorismo digital que funciona como um equalizador de oportunidades, porque dilui as fronteiras e estabelece a igualdade entre o empreendedor que está em Lisboa ou o que está no Alentejo profundo - ambos valem o mesmo no mundo digital.

Em conjunto com os nossos parceiros, pretendemos também aumentar o espectro de actuação da INHERVOICE ao abranger pessoas em situação psicológica fragilizada. Através do nosso processo integrado e personalizado, pretendemos desenvolver a auto-estima e auto-aceitação e trazer as pessoas a um ponto de coachabilidade que permita conquistarem a motivação e a força vontade para se construírem e realizarem profissionalmente.

 

Face ao momento tão desafiante que vivemos, quer deixar uma mensagem para a nossa comunidade?

A mensagem que a INHERVOICE quer deixar é forte mas acreditamos que precisa de ser pronunciada. Num momento tão dramático, semelhante a um momento de guerra como o que estamos a atravessar, é fundamental vencer o medo e manter a cabeça fria para estarmos atentos às oportunidades que surgem no meio da adversidade.  Costumo usar dois exemplos da nossa História, para ajudar as pessoas a reflectir e decidir o que querem para si: querem ser como o Infante Dom Henrique que realizou 15 tentativas em 12 anos para dobrar o Cabo Bojador onde se acreditava ser o fim do mundo, populado por criaturas marinhas e águas ferventes, até Gil Eanes em 1434 ter comprovado a sua teoria, libertando a expansão  marítima ou se querem ser como o Velho do Restelo, arquétipo do medo e do pessimismo introduzido por Luís de Camões, que criticava os temerários navegadores portugueses sob o argumento de que movidos pela cobiça de fama, glória e riquezas, procuravam desastre para si mesmos e para o povo português.

 

Para mais informação:

https://inhervoice.pt/

https://www.linkedin.com/mwlite/company/inhervoicecultureofcoaching

https://www.facebook.com/inhervoicecultureofcoaching/

TM / Whatsapp: 919997576

Email: info@inhervoice.pt

Partilhar conteúdo: