Entrepreneurs supported by Fundação Eugénio de Almeida #16

 

"O CIS da Fundação Eugénio de Almeida tem sido um parceiro muito importante para nós. Por um lado, deu-nos um grande impulso para a estruturação de uma série de ideias que cada um de nós tinha e da qual resultou o nascimento da PAD. Em concreto, o facto de termos merecido uma menção honrosa na iniciativa CIS Empreende foi um excelente “pontapé de saída”. "

Carlos Ramos

 

De que consta o seu projeto, qual o impacto esperado e que resultados já podem apresentar?

A “Para Além do Digital” (PAD) é uma associação sem fins lucrativos que tem como objectivo geral contribuir para o desenvolvimento social e cultural do território e das pessoas que nele habitam. De uma forma mais concreta, queremos contribuir para reduzir formas de dependência digital, apoiar a aprendizagem (formal e não formal) e fomentar a interacção social, dando primazia à utilização de jogos de tabuleiro modernos nesses processos.

Escolhemos esse instrumento uma vez que é hoje aceite pela generalidade dos especialistas em saúde mental, em comportamento social e em educação que os jogos de tabuleiro são uma poderosa ferramenta de socialização e de desenvolvimento cognitivo, social e cultural. Há, inclusive, investigação produzida sobre isso.

Apesar de cada elemento da nossa equipa ter já uma vasta experiência em diferentes vertentes da utilização dos jogos de tabuleiro, como colectivo ainda somos muito recentes. No entanto, temos já a funcionar dois projectos que pretendem introduzir a temática ao público em geral: os Boardgamers de Estremoz e o “Play that Game!”.

O Boardgamers de Estremoz assume a forma de um grupo de jogadores aberto a todos os que queiram participar e que está sedeado nessa cidade alentejana. Fruto de uma parceria com o Centro Ciência Viva de Estremoz, organiza regularmente sessões de jogos de tabuleiro abertas à comunidade local.

O “Play that Game” é um projecto que pretende divulgar o mundo dos jogos de tabuleiro modernos sob a forma de um site (https://play-that-game.weebly.com) onde se vão publicando entrevistas e artigos de opinião. Aproxima-se do conceito de publicação electrónica e já contamos com uma série de artigos e entrevistas a várias personalidades que são uma referência.

 

Em que medida foi importante o apoio com o CENTRO DE INOVAÇÃO SOCIAL da Fundação Eugénio de Almeida?

O CIS da Fundação Eugénio de Almeida tem sido um parceiro muito importante para nós. Por um lado, deu-nos um grande impulso para a estruturação de uma série de ideias que cada um de nós tinha e da qual resultou o nascimento da PAD. Em concreto, o facto de termos merecido uma menção honrosa na iniciativa CIS Empreende foi um excelente “pontapé de saída”. Por outro lado, a Fundação tem também permitido uma maior projecção do nosso projecto.

 

Quais os próximos passos previstos para continuar a mudar positivamente o mundo?

Ideias não nos faltam! De uma forma mais imediata, estamos focados em nos “apresentar ao mundo”, concretizando pequenas iniciativas de base local. No curto e médio prazos, há dois projectos de maior dimensão que estão a dar os primeiros passos: 1) a criação de programas de formação destinados a professores e educadores que pretendam utilizar os jogos de tabuleiro como ferramenta; 2) a organização de um grande evento anual sob a forma de uma convenção internacional de jogos de tabuleiro que coloque Évora no mapa das grandes iniciativas dedicadas ao hobby, incluindo não só os jogadores actuais e potenciais, mas também a industria associada.

 

Face ao momento tão desafiante que vivemos, quer deixar uma mensagem para a nossa comunidade?

A pandemia trouxe-nos grandes e diferentes desafios associados a uma nova realidade que deixará marcas e novos hábitos. Um dos que nos parece mais preocupante é o reforço de um isolamento social crescente que já existia, mas que agora foi acelerado, em particular em grupos específicos da sociedade. Neste contexto, é fácil esquecer que cada um podemos ter um papel importante para o contrariar. Daí ser tão importante encontrar formas eficazes, atraentes e úteis de actuar na comunidade e de forma colaborativa. Cada vez faz menos sentido cada um andar a trabalhar “na sua quintinha”. É com união e cooperação entre indivíduos, organizações e projectos que poderemos avançar mais e melhor.

 

Para saber mais:

Email:cramos@bdebrincar.com

Partilhar conteúdo: