Performance como desenho, desenho como performance

 

10 de maio | 21h30

MARTA AZPARREN
Cauterografias


Não nos pomos a olhar para as cicatrizes,
que são os lugares por onde a alma lutou
para fugir e foi forçada a voltar para trás,
encerrada por baixo da pele cosida.

J.M. Coetzee, A Idade do Ferro

 

O traço como um gesto curativo. A tinta como um antisséptico sobre a pele da dor.

A ferida interna dividida entre a mão que desenha e o corpo-papel.

Pincel-cautério.

 

Marta Azparren reparte a sua atividade artística entre a videoarte, as artes visuais e as artes cénicas. O seu trabalho centra-se na reflexão sobre a própria atividade artística, com um olhar cuidadoso sobre a relação entre o criador, o espectador da obra de arte e os seus mediadores. O seu trabalho foi mostrado e reconhecido em inúmeros festivais e feiras internacionais. Muito ligada às artes vivas, à música e à poesia, colabora regularmente nestas áreas como performer, desenhando ao vivo ou como VJ.

 

 

 

Partilhar conteúdo: