Performance como desenho, desenho como performance

 

17 de maio | 21h30 

SILVESTRE PESTANA
Cor_Dor, 2018, Poema Avatar


Performance apresentada durante a inauguração da Exposição Poesia Experimental Portuguesa - Caixa Cultural, Brasília, 2018, além da ação espontânea no átrio da Sociedade de Belas Artes de Lisboa durante a inauguração do ArtFest_2018.


Silvestre Pestana (Funchal, 1949) é Licenciado em Artes Gráficas e Design pela ESBAP e Mestre em Ensino de Arte e Design pela De Montford University. Foi professor da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra. Estudou Televisão e Música Eletrónica na Universidade de Estocolmo.

A sua obra impõe-se pela radicalidade das intervenções que, desde o primeiro momento, se apoiam num intencional hibridismo resultante do jogo e permutação entre signos linguísticos e signos não linguísticos. A contaminação que, nos anos 1960 e 70, deriva da utilização de material gráfico diverso, passará a encontrar, nos anos 80, um apoio na utilização do vídeo e dos meios informáticos. A este nível, pode dizer-se que a sua poesia para computador abriu novos rumos à poesia experimental.

Os seus trabalhos recentes, no âmbito da performance, em espaços reais ou virtuais como o Second Life, são fundamentais para aferir o modo como as práticas experimentalistas inteferem com as práticas sociais em que se articulam.

 

Entrada livre

Partilhar conteúdo: