Ciclo Internacional de Reflexão Crítica

 

 

15 de maio | 18h00

CENTROS E PERIFERIAS, CONSTRUÇÕES E DESCONSTRUÇÕES DO IMAGINÁRIO. OS CASOS DE PORTUGAL E ITÁLIA

COM ROBERTO FRANCAVILLA

Entrada livre

 

Roberto Francavilla tem estudado com detalhe as formas de recepção literária e de circulação de objectos culturais entre Portugal e Itália. A tradução serve aqui como modelo crítico para uma reflexão em torno de questões relacionadas com a história dos intercâmbios culturais entre duas tradições, a fim de estabelecer alguns parâmetros (e consequências) da mediação entre sistemas literários também em termos de hierarquização: “cânone” versus “os outros”, “centro” versus “periferia”, “cultura erudita” versus “imaginário popular”). Visa-se igualmente analisar as políticas de divulgação dos textos no espaço da contemporaneidade, considerando especificamente o papel da Universidade, da crítica literária (hoje em dia quase inexistente ou, pelo menos, distante do objecto “Literatura portuguesa”), da intervenção do tradutor, da interação entre público e editoras.

 


Sobre Roberto Francavilla
Roberto Francavilla (1966) é Professor Associado de Literatura Portuguesa e Brasileira com habilitação a Professor Catedrático na Universidade de Génova onde, além dos cursos de graduação, lecciona no Doutoramento em Literaturas Comparadas. Leccionou em cursos de Pós-Graduação da FLUL (Faculdade de Letras de Lisboa) e em várias universidades (Siena, Macau), tendo sido bolseiro do Instituto Camões e da Fundação Calouste Gulbenkian. Membro fundador da AISPEB (Associazione Italiana di Studi di Portoghesistica e Brasilianistica), Roberto Francavilla é também editor (Gil Vicente, poesia africana e brasileira) e tradutor (de Fernando Pessoa, Clarice Lispector, Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa, José Cardoso Pires, Chico Buarque, Gonçalo M. Tavares, entre outros). Tem dedicado trabalhos às literaturas brasileira, portuguesa e africanas de expressão portuguesa. Como crítico literário colabora com regularidade com o suplemento cultural do diário “Il Manifesto”. Desenvolve também actividade como criador (é autor do projecto Hotel Sodade (com o fotografo italiano Filippo Romano) e da performance Pessoa / Persona, com o artista português António Jorge Gonçalves).

Partilhar conteúdo: