Performance como desenho, desenho como performance

 

10 de maio | 21h30

SEBASTIÃO RESENDE
Digital Matrix Grid


"A obra Digital Matrix Grid insere-se num projecto iniciado em 1990 e por mim ocasionalmente retomado.

Ele parte de uma constatação simples: quando digitamos um conjunto de números no teclado telefónico, os dedos traçam na superfície um desenho efémero e ao mesmo tempo reconhecível. Os desenhos que fiz inicialmente partiam de números de telefone de instituições e personalidades do mundo das artes. Antecedidos do código do respectivo país, originavam um diagrama único para cada indivíduo. Na sequência desta primeira fase, datas especiais foram também consideradas para outras peças.

Para fazer a peça com que participo nesta exposição, situada no muro interior do jardim tardoz, escolhi a data da instauração da Inquisição em Portugal, na cidade de Évora, a 23.05.1536. É a data que pode ler-se ao seguir a linha que atravessa o desenho e o teclado que lhe subjaz. Para esta situação de Acção/Performance, e considerando a possibilidade de gerar um diagrama único por cada pessoa presente, procederemos da seguinte forma: depois de fazer uma demonstração do mecanismo simples que procurei descrever, convido o público a participar na construção da sua própria marca singular, e a traçar a sua digital matrix grid.

Numa folha de grandes dimensões, estarão já marcadas várias grelhas numéricas, de várias dimensões, para que cada um(a) possa escolher a escala do gesto com que vai iniciar o seu registo, isto é, a sua nova impressão digital..."


Sebastião Resende tem estado ativo em diversos media desde 76, nomeadamente em escultura, fotografia, desenho, pintura e edição serigráfica, tendo recebido alguns prémios em contexto nacional e internacional, sendo o mais recente o Prémio Amadeo de Souza- Cardoso. Participou em 130 exposições coletivas e realizou 28 individuais de que se mencionam as mais recentes: 2019 – “Quando Se Extinguiram O Espaço Ficou Vazio”, Casa das Artes, Porto. 2018 – “Sobre a Terra Fendida Uma Chama”, Museu da Guarda. 2017 – “Neste Ninho de Vespas”, Sismógrafo, Porto. 2014 – “Fecit Potentiam”, Sismógrafo, Porto. 2012 - “Sem Retorno”, Museu da Luz, Mourão. 2010 – “The Lying Chair”, Galeria Quadrado Azul, Lisboa. 2009 – “Naufrágio Pluma”.

 

Entrada livre

Partilhar conteúdo: