a&b / destaques

 

DESTAQUES [página 1/2]  
     

 

 

 

   
   

2021-12-16

 
 

 

As aventuras de Tom e Henry

 
 

 

 

Na Casa Eugénio de Almeida, o ano de 1891 começou com uma novidade: a contratação de dois grooms ingleses para o serviço da cocheira. Oriundos de Londres, Thomas e Henry, chegaram a Lisboa, à vez, entre os meados de dezembro e os primeiros dias de janeiro, recomendados pelo Barão Sandeman. Nos dois meses seguintes, os episódios e peripécias que protagonizaram acabariam por ditar o seu regresso precoce a Inglaterra. O que se terá passado?

 
   

 

   
   

2021-10-24

 
 

 

Uma «dama de ferro»

 
 

 

 

Em 1914, a morte de Carlos Maria Eugénio de Almeida (1845-1914) colocou um enorme ponto de interrogação sobre o futuro da Casa Agrícola, numa conjuntura económica extremamente desfavorável. A gestão do património foi então assumida pela sua mulher, Maria do Patrocínio Barros Lima e Almeida, cuja tenacidade se viria a revelar providencial..

 
   

 

   
   

2021-10-06

 
 

 

Às portas da guerra

 
 

 

 

A invasão da Polónia pelas tropas alemãs ao serviço do Terceiro Reich, deu início à Segunda Guerra Mundial, o conflito bélico mais devastador que a humanidade já conheceu. À tragédia de cada morte – e foram milhões, entre vítimas militares e civis – juntou-se a destruição de cidades, o drama dos refugiados, o racionamento de bens de todo o tipo, a fome.

 
   

 

   
   

2021-09-03

 
 

 

100 anos

 
 

 

 

Ao longo da História, foram, infelizmente, muitos os momentos em que, por razões várias, se assistiu à perda irreparável de inúmeros acervos documentais, repositórios de informação constituídos por arquivos e bibliotecas, de natureza pública e privada, sem os quais é hoje difícil e, nalguns casos mesmo impossível, preencher importantes lacunas sobre o conhecimento do passado e da nossa memória coletiva.

 
   

 

   
   

2021-07-23

 
 

 

Olha a Bola de Berlim,
há com creme e sem creme!

 
 

 

 

A receita das Bolas de Berlim é um dos documentos, por motivos desconhecidos e que talvez nunca venham a ser desvendados, que se encontra apenso a um dos processos das dívidas ativas da família Eugénio de Almeida, entre letras de câmbio, extratos bancários e contas correntes… Embora seja apelativo como hipótese, é muito pouco crível que alguém tenha proposto oferecer como garantia de pagamento de uma dívida nada mais, nada menos do que… uma receita culinária.

 
   

 

   
   

2021-07-07

 
 

 

Do outro lado da rua

 
 

 

 

Maria Teresa Burnay de Almeida Bello, a quinta de seis irmãos (dois rapazes e quatro raprigas), nasceu no dia 16 de setembro de 1921, na Casa de Massarelos, em Caxias, paredes-meias com o Tejo e com o Atlântico. Não é por isso de estranhar que o mar fosse uma das paixões confessadas da sua vida. Na juventude, durante os meses de verão, a praia - que ficava, literalmente, do outro lado da rua - transformava-se numa espécie de átrio da casa.

 
   

 

   
   

2021-05-05

 
 

 

«Um eborense»

 
 

 

 

No dia 12 de maio de 1957, Évora assistiu a uma das maiores manifestações do século XX na cidade. O motivo que levou milhares de pessoas a sair às ruas foi a vontade de expressar o seu agradecimento pela doação de uma avultada quantia destinada à construção de um centro hospitalar para o tratamento de doenças do foro oncológico. A notícia propagou-se de forma célere. Das colunas dos jornais passou para as conversas dos cafés, para os encontros nos círculos associativos e, claro, tornou-se o tema dominante da Praça do Giraldo, um dos principais «centros noticiosos» da cidade na época.

 
   

 

   
   

2021-04-14

 
 

 

«Chique a valer»

 
 

 

 

Em 1882, o Palácio de São Sebastião da Pedreira, em Lisboa, à época a principal residência da família Eugénio de Almeida, recebeu um «elegantíssimo» baile, que contou com a presença do Rei D. Luís e da Rainha D. Maria Pia. A notícia do evento foi publicada na edição do Diário Illustrado de 15 de janeiro de 1882[1]. Apesar da presença Real e do «extraordinário» número de convidados, o jornalista que acompanhou o evento pareceu sobretudo impressionado com o requinte do palácio a cuja descrição dedicou quase todo o artigo.

 
   

 

   
   

2021-03-19

 
 

 

De pai para filho

 
 

 

 

Em carta de 28 de fevereiro de 1925 que dirigiu ao filho, para além de o colocar ao corrente de onde iria passar as férias escolares da Páscoa, o 1.º Conde de Vill'Alva fez recomendações sobre como se devia comportar «para vir a ser um homem de bem». A vida de Vasco Maria, prematuramente interrompida a poucos dias de completar 62 anos, não seria outra coisa senão uma demonstração de que as palavras do seu pai nunca foram esquecidas.

 
   

 

   
   

2021-03-12

 
 

 

8.º aniversário da
Coleção de Carruagens

 
 

 

 

A assinalar o 8.º aniversário da Coleção de Carruagens, inaugurada no dia 12 de março de 2013, partilhamos vários documentos relacionados com uma das atrelagens deste espaço da Fundação que, de acordo com a sua tipologia, recebe a designação de Tonneau ou Governess Cart.

 
   

 

   
   

2021-03-04

 
 

 

Casamento elegante

 
 

 

 

No dia 7 de janeiro de 1904, José Maria Eugénio de Almeida (1873-1937), contraiu matrimónio com Alice Irene Dubraz de Sousa Araújo (1881-1973), filha do então já falecido Capitão de Cavalaria, Benedito Cândido de Sousa Araújo e de Amélia Dubraz de Sousa Araújo. A cerimónia religiosa do enlace decorreu, de forma discreta, na capela da residência dos pais do noivo, no Palácio de São Sebastião da Pedreira, em Lisboa, mas foi anunciada num artigo da secção «High-Life» do Diário Illustrado, no qual, para além de se publicarem os retratos dos nubentes, se desfiou o rol das suas distintas qualidades, como era da praxe na época.

 
   

 

   
   

2021-02-19

 
 

 

Um acidente hipomóvel

 
 

 

 

Em 1884, numa carta dirigia ao prestigiado fabricante de carruagens inglês H. & A. Holmes, de Derby, Inglaterra, a quem encomendara uma Double Brougham, Circular Front, N.º 48, Carlos Maria Eugénio de Almeida (1845-1914), depois de escolher a cor das rodas e da caixa, de determinar a forma das lanternas e de indicar o brasão a gravar em ambas as portas discorreu, largamente, sobre um dispositivo que considerava indispensável no seu novo hipomóvel: os travões!

 
   

 

   
   

2021-01-29

 
 

 

Um «hospital de
coléricos» em Évora

 
 

 

 

Depois do surto que se propagara durante o período da guerra civil de 1832-1834, travada entre Liberais e Absolutistas, Portugal voltou a ser atingido, em meados da década de 1850, por uma nova vaga da «Cholera Morbus» à qual se seguiu a Febre Amarela. Tal como hoje, as autoridades tomaram medidas. Para conter a disseminação da doença e para socorrer os pacientes, foram implementados cordões sanitários e apertada a vigilância das fronteiras, a terrestre e a marítima, criaram-se lazaretos e improvisaram-se hospitais para os enfermos. Évora não foi exceção.

 
   

 

DESTAQUES [página 1/2]  
     

 

Partilhar conteúdo: