Ex-líbris da Biblioteca Eugénio de Almeida
Vasco Maria Eugénio de Almeida (1922)
Projeto de uma ponte sobre o Tejo (1889)
Projeto de uma residência (1870)
Rua Cândido dos Reis, Évora (1957)
Aqueduto da Água da Prata (1856)
Pormenor de um postal (1908)
Grupo em estância de férias

 

 
 

Do outro lado da rua

 
 

«(...) durante os meses de verão, a praia - que ficava, literalmente, do outro lado da rua - transformava-se numa espécie de átrio da casa»
2021-07-07

 
     
 

Maria Teresa Burnay de Almeida Bello Eugénio de Almeida (1951)
Fotografia de autor desconhecido, Arquivo e Biblioteca Eugénio de Almeida

 

Maria Teresa Burnay de Almeida Bello, a quinta de seis irmãos (dois rapazes e quatro raparigas), nasceu no dia 16 de setembro de 1921, na Casa de Massarelos, em Caxias, paredes-meias com o Tejo e com o Atlântico. Não é por isso de estranhar que o mar fosse uma das paixões confessadas da sua vida.

Na juventude, durante os meses de verão, a praia - que ficava, literalmente, do outro lado da rua - transformava-se numa espécie de átrio da casa. O tempo era ocupado em leituras, pequenos passeios à beira-mar ou nas intermináveis conversas com colegas, amigos e familiares para quem a Casa de Massarelos se tornou num ponto de encontro habitual.

O desporto ocupava um lugar central destas vivências, por simples lazer ou para testar os limites atléticos de cada um na corrida, no salto em comprimento, na natação ou até no lançamento do peso, modalidade de que Maria Teresa parecia gostar particularmente.

A prática da vela de recreio e a participação em regatas, foram outras das atividades que o crescer à beira mar tornaram incontornáveis e até mesmo imprescindíveis na sua vida, gosto, aliás, amplamente partilhado no universo familiar, já que os seus primos Duarte Bello e Fernando Bello ganharam, em 1948, a primeira medalha de prata para Portugal, nos Jogos Olímpicos de Londres, em vela desportiva, Classe Swallow, tendo ficado a meros... 14 segundos do ouro!

Uma profunda ligação ao mar durante a juventude, que em Maria Teresa terá encontrado apenas paralelo, já em idade adulta, na relação de proximidade e afeto que, depois do seu casamento com Vasco Maria Eugénio de Almeida, estabeleceu com Évora e o Alentejo.

No dia 14 de julho de 2021 passam quatro anos sobre o falecimento, aos 95 anos, de Maria Teresa Burnay de Almeida Bello Eugénio de Almeida, mulher do Instituidor da Fundação.

 
 

 

 
       
   

Partilhar conteúdo: