Mais de 90 pessoas participaram na Conferência Novos Negócios Sociais

2014-11-24

Mais de 90 Pessoas Participaram na conferência Novos Negócios Sociais - Uma Abordagem Jurídico-Legal

 

No passado dia 20 de Novembro, a Fundação Eugénio de Almeida promoveu a conferência Novos Negócios Sociais -  Uma Abordagem Jurídico-Legal Para Colocar Em Prática Boas Ideias Sociais.

 
A abertura esteve a cargo de Henrique Sim-Sim, Assessor da Secretária Geral da Fundação Eugénio de Almeida. A conferência inaugural foi efetuada por Margarida Couto, sócia e responsável pelo Programa Pro Bono e Responsabilidade Social Empresarial da Vieira de Almeida & Associados, que esclareceu o que são ou não negócios sociais,  referido-se à lei da Economia Social. Seguiram-se a apresentação de testemunhos de Novos Negócios Sociais. Emanuel Martins, Presidente do Conselho de Administração da Fundação O Século, que relatou a história da instituição e a forma alternativa do novo modelo de gestão criado para a sustentabilidade da organização. Filipe Alves, Diretor da Biovilla - Cooperativa para o Desenvolvimento Sustentável apresentou este projeto realçando a lógica da economia colaborativa.

 

A conferência encerrou com a apresentação da Investigação sobre Empresas Sociais – o projecto Alliance for Social Impact Investment, por Pedro da Silva Carvalho, CEO da Finance for Social Impact e técnico do projeto Alliance for Social Impact Investment, referindo que se pretende seleccionar, até Janeiro de 2015, 5 business cases passíveis de serem implementados, destacando o que um investidor social procura para financiar projetos.

 

Estiveram presentes mais de 90 representantes de instituições públicas e privadas a nível regional e nacional, entre os quais responsáveis da Santa Casa da Misericórdia de Évora, da Associação Chão dos Meninos, da Associação Trilho, do Lar de Santa Helena, do Jardim dos Sentidos, da AJPRA, da Rurambiente, da Casa João Cidade, da APPACDM Évora, do Centro Distrital da Segurança Social de Évora, da EDIA - Empresa de Desenvolvimento e Infra-Estruturas do Alqueva, S.A., do Instituto S. João de Deus, da Fundação Aga Khan de Portugal, da Santa Casa da Misericórdia de Arez, do Centro Social e Paroquial de Penha de França, entre outros.

 

O debate, moderado por Maria Luísa Silva, enonomista, foi bastante participado, designadamente no que diz respeito a casos concretos das organizações presentes, bem como às formas de ultrapassar as dificuldades de natureza jurídico-legais das mesmas.

 

QTS-Conf.NovosNegóciosSociais1  QTS-Con.NovosNegóciosSociais2

QTS-Conf.NovosNegóciosSociais3  QTS-Conf.NovosNegóciosSociais4

QTS-Conf.NovosNegóciosSociais4  QTS-Conf.NovosNegóciosSociais6

QTS-Conf.NovosNegóciosSociais7  QTS-Conf.NovosNegóciosSociais8

Partilhar conteúdo: